#navbar-iframe { height: 0px; visibility: hidden; display: none; }

quinta-feira, 11 de março de 2010

LANÇAMENTO DA DESTroi Mag.10#11 amanhã

revista-dest-00

revista-dest-01

Revista DESTroi
Pré-lançamento, 12/03, na loja MTN - graffiti shop
LANÇAMENTO, 21/03, na ACASA - Espaço de Arte

Você é nosso convidado especial para o lançamento dessa publicação, o múltiplo DESTroi Mag.10#11, a revista curitibana de graffiti-explícito.

Destroi 10.
DESTroi 11, finalmente, o miolo já está na mão. Imagine a costura da capa em papel Fine Face, serigrafia na frente e verso off-set, passando pelo miolo de Pólen Soft Natural, com uma gramatura legal, impresso em off-set e interferências de alguns dos autores.

Quando editava o último Destroi, em 2004, o considerava um fanzine, uma revistinha de graffiti. Seis anos depois, percebo o barulho que ele pode causar. São uns textos muito radicais, soa até engraçado ouvir isso de mim mesmo e ter essa opinião hoje... Já faz um tempo que não publico textos oficialmente, se for desconsiderar a internet como um meio de publicação, já faz alguns anos, portanto, publico-os em alguns blogs, flogs e até orkut. Sempre estou causando por aí, gosto de apontar questões, mesmo que elas sejam só ruído dentro de um sistema de arte. Quero pensar os texto que publicava no Destroi, os textos que publiquei na internet e outros em algumas revistas, fanzines, impressos. O que o torna singular, o que o torna tangível sobre uma arte marginal, o que o torna radical nas minhas próprias palavras. É interessante pensar como nos tornamos animais, nos tornamos domésticos.

Agora, dois mil, ano 10, vai chegando às suas mãos a revista DESTroi.Mag.10#11, uma revista realizada com o mesmo carinho que eram feitos os fanzines, mesmo assunto e com um pouco mais de recurso, o que alcança uma melhor qualidade no trabalho. Tem muitas outras diferenças e variações no processo de produção. No passado, foi recortar papel e colar, imprimir o texto, recortar e colar, isso tudo com tesoura, estilete e até papel acetato - sempre pesquisando maneiras de resolver questões para obter diferentes resultado estéticos, eram verdadeiras experiências. Hoje, já podemos ter mais controle sobre os resultados na era digital, podemos abusar e explorar recursos simples e processos existentes no mercado gráfico - sem falar que as fotos são todas digitalizadas, isso facilita bastante. Nessa publicação, procuro explorar apenas os recursos simples para obter um bom impacto visual. Trabalhei com vários formatos de fotos, desde a foto de “monóculo” até as 15x21. Algumas ilustrações desenhadas à mão, mão e computador, outras feitas apenas no computador. A capa é uma mistura de ilustração, desenho e hq. A fonte do título da revista tem letras que lembram o graffiti, mas a capa é, na verdade, apenas uma ilustração, uma cor e com recorte localizado, entre outros diferenciais, criada por Cimples e Dose, finalizada por Valério Cicqueira (e é dificil falar dos processos quando você tem vários nomes especificos para cada atividade).

EDIÇÃO NÚMERO 11
PAGINAS: 32 com capa
CAPA: PAPEL CANSON 180gm impresso em serigrafia
FOLHA DE ROSTO: Com fotografia colada.
MIOLO: PAPEL POLÉN GOLD 80gm
FORMATO MIOLO: 7 FOLHAS de 28x44 cm (tamanho final)
ACABAMENTO costurado à mão
COR: P/B miolo e 1 COR na capa
TEMA DA REVISTA: GRAFFITI-EXPLíCITO
TIRAGEM: 300 CÓPIAS

Em Curitiba,
Pré-Lançamento
MTN - graffiti shop
Rua Conselheiro Laurindo, 600
Shopping Capital - PISO L
(41) 3026-0124 - Centro

0 comentários:

Postar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO